segunda-feira, 11 de agosto de 2008

...uma menina que tinha medo de se amar...

Era uma vez... uma menina que tinha medo de se amar. Até que um dia, ela percebeu que não amar a si, a estava fazendo muito infeliz... Então, ela olhou para dentro de si, e pensou: Não sou melhor do que ninguém, mas também não sou pior, que tal agir como igual? Hoje o dia foi bastante exigente. Exigiu que mais uma vez eu acordasse e percebesse o quanto sou importante para eu mesma. E o melhor de tudo é que eu consegui. O engraçado disso tudo é quando acordei, já sentia que o dia seria difícil. E eu pensei que não ia conseguir. Mas busquei dentro de mim a força que eu precisava... e minha alegria foi completa, quando percebi que não preciso ser covarde... Mas já fui covarde muitas vezes... afinal, é bem mais fácil negar a culpa, do que assumí-la. Não é? É bem mais fácil mostrar-se superior, do que conversar de igual pra igual. Nossa... quanta vergonha tenho por ter agido assim um dia... ainda bem que aprendi a respeitar a mim... ainda bem que hoje eu posso olhar nos olhos de outro, e dizer: posso, quero e consigo ser mais eu... Emoções acontecem sim, e até nos fazem praticamente perder o rumo... mas eu não reclamo, porque superar esses impulsos me deixa cada dia mais feliz. Ser racional, o tempo todo, não teria a menor graça... Infelizmente há pessoas que mesmo sendo superiores em poder, são inferiores em justiça e honestidade... e mesmo que soframos com isso, com certeza quem mais sofre, é o covarde que não possui essas qualidades...

Um comentário:

Josy disse...

Nossa Ciça certas vezes m vejo em vc...
Adoreiii, mesmo!
Bjuxssss...