quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Real

Assim. Só. Viajo.

De olhos fechados alcanço o paraíso.

De olhos fechados. Sinto. Sonho.

 

De repente. Acordo.

E assim, sem perceber, eu choro.

As lágrimas pela face.

Dói. Realidade tão real.

Me toca. Sem dó.

Salgada água que desce pelo rosto.

O coração incha.

Suspiros.

Delírios da verdade.

 

Gritos param na garganta.

Por onde a saliva passa, quase que sendo empurrada.

O ar não sai. Não entra.

Fica tudo escuro.

 

Realidade. Real. Agora eu sei.

Não é pra ser.

Um comentário:

lis disse...

Ciça,
Muito bom seu escrito, pena que seja um sofrimento...
Cuide-se
Beijos e boa noite