quinta-feira, 16 de outubro de 2008

Eu voltarei!

Sim. Eu sei. Tenho andado distante. Mas quero explicar. Mesmo ainda sem saber um motivo real para este afastamento. Uma vez já comentei aqui, que sempre tive a impressão de assistir a minha vida como se fosse um filme, algo que eu tinha total controle. Hoje, por vezes, ainda me vejo assim, como uma personagem da vida real. Talvez eu 

tenha criado assim um mecanismo de fuga dos meus erros, dos meus medos, insatisfações. Quando eu vivia momentos de tensão, era mais fácil pensar que o tempo passaria, e aquilo ficaria pra trás, do que enfrentar, aprender, corrigir. E assim eu fui seguindo. Mas não me arrependo completamente, porque de certa forma foi tudo aquilo que me transformou no que sou hoje. E me superar todos os dias me deixa realmente satisfeita. Cada descoberta, cada conquista, por menor que seja, me faz perceber que sou capaz de muito mais do que pensava. Então, viver como se a vida fosse um filme, agora acontece raramente. E como ser imperfeito que sou, acredito que isso sempre voltará a acontecer, mesmo que poucas vezes.

A falta de palavras tem me tirado a calma. Perder pensamentos. Perder sensações. Isso sim me deixa aflita. Porque desde sempre eu amo as palavras. Desde o primeiro lápis. Desde o A E I O U. Criar histórias, viver as frases. Isso sempre me fascinou. E agora, eu olho e me perco. Nos momentos mais intensos, me perco. Só sinto e vejo o vazio. Um amigo me disse, que talvez isso acontecesse porque eu já não tenho mais dores pra reclamar. Se for assim, então devo me considerar uma pessoa muito feliz. Mas não me sinto assim. Mesmo porque sei que não preciso de dores pra ter inspiração. Eu só preciso de palavras, e são elas que me fogem pelos dedos, pelos pensamentos.

Mas não, apavorada não estou. Porque elas vão voltar, sempre voltam. E aí sim me acalmo, fazendo o que me deixa mais feliz...

Peço então, desculpas... mas como em filmes normalmente gritam: EU VOLTAREI!

Um comentário:

lis disse...

Ciça,
Elas voltaram e você nem percebeu. rss. Em geral creio que é assim, reclamamos escrevendo que as palavras nos abandonam e quando percebemos ela estão. Só não a reconhecemos como tal, pois a intenção nos era diferente.

Certo que voltam, é relaxar e deixar fluir.
Fico feliz com suas visitas, mesmo que sejam esporádicas.
Beijos e boa noite.