sábado, 8 de maio de 2010

Breve conto de amor

Durante o almoço o assunto foi poesia. Ela contando suas peripécias com as palavras. Ele sorrindo a olhava. E mesmo que pouco entendesse sobre poesia, muito sabia sobre ela. Por isso, a sua frente ele via, uma mulher tão fascinada que se tornara fascinante.
Enquanto ela falava com empolgação sobre versos, rimas, contos e crônicas, o que ele ouvia era a música de uma voz feliz. Ele então se sentia também feliz, pois seu amor era singelo e real. Ele a amava. Ela amava poesia. A ele também.
E enquanto seguiam para casa, ela ainda cantava, contava. Contava o conto “A Galinha” daquela que ela chamava de ‘intensa Clarice’, assim como também se dizia. Talvez ele nem soubesse da galinha, do conto, da rua aonde iam. Mas dela, ele sabia.

Um comentário:

bruno disse...

bom conto Ciça,parabéns!!!