terça-feira, 27 de abril de 2010

Recomeço

Sou parte de calma
Pedaço de vidro
Sou cabeça em nocaute
Corpo em improviso

E nesse desejo de sorte
Na busca do sonho real
Degusto o sabor do sol
Invisível feito o doce

Inalcançável é a brisa
Do passado imperfeito
Lua jovem ainda há
É perfeito o seu descanso

Aurora do amanhã
Vem em passos de formiga
Nem esqueço da memória
Chega a hora, chega o dia


3 comentários:

Gabriela Lira disse...

somos assim...

voltei a postar ciça.. da uma passada lá. abraços!

L. M. disse...

Uau! Vim agradecer a visitinha no meu blog e fiquei completamente encantada com o seu! Parabéns! Amei! Grande escritora!

Sarah Slowaska disse...

"Inalcançável é a brisa
Do passado imperfeito"

Que lindo isso. É tão real, é tão belo que chega a doer.

:)
Olha, se quiseres envio-te os passos para a protecção dos textos, por e-mail. Acho que o código não aparecerá por aqui.
Este e-mail que tens no perfil...posso enviar por ele?
beijos :D