domingo, 6 de março de 2011

Hora

Quem sabe um dia a gente se encontre por aí
Onde o céu encontra as águas
Como quem busca o infinito
E sobrevive ao impossível


Quem sabe um dia a gente se toque
E ouça os desassossegos dos anos
Que pararam sobre a pele
Na incerteza de um final feliz


Quem sabe, quem pode saber
Como vai ser
Como vamos viver
Amanhã ou no ano que vem?


Não, não é a hora de ignorar
Os apelos das horas cansadas
Das fontes que nunca secaram
Talvez seja a hora de apenas sonhar

2 comentários:

bruno disse...

Belas palavras Ciça, a poesia está com você!

Andréa disse...

Bem bacana!!!! Super bjo!!!!